COMO FALAR DE HOMOSSEXUALIDADE COM SEUS PAIS

A homossexualidade, por si só, já é grande tabu. Introduzir este assunto no ambiente familiar, também. Mais complicado ainda é contar aos seus pais sobre a sua orientação, que é diferente do que considera-se ”normal” pela família. Grande parte – senão 100% dos pais – não deseja ter um filho homossexual. Mas muitos esquecem que esse fator não é uma escolha. É um sentimento natural, uma vontade. Uma orientação maior do que qualquer tipo de controle. Muitas pessoas negam e recusam o sentimento de preconceito, mas poucos pais gostariam de ter em casa um filho homossexual.

COMO FALAR DE HOMOSSEXUALIDADE COM SEUS PAIS

Tratar esse assunto com os pais, olho no olho, é uma tarefa muito árdua. Alguns cuidados devem serem tomados antes de iniciar um diálogo. E esses cuidados deve ser trabalhados com antecedência. A seguir, veja algumas dicas de como entrar nesse assunto com os pais, de forma confortável, gerando o mínimo de constrangimento.

Antes de tudo, você tem que ter em mente, claramente, o que os seus pais pensam sobre o assunto: se levam com naturalidade, se são preconceituosos, se banalizam o tema.. Só assim você poderá ter ideia da reação deles ao receber a notícia. Caso seus pais tenham algum nível de preconceito conta homossexuais, seu trabalho é modificar – ou pelo menos tentar – esse pensamento, no dia a dia. A forma mais prática é introduzir os prós e contras da orientação, em diálogos rotineiros. Outra forma eficiente é discutir abertamente o tema, sempre que algo sobre aparecer na televisão e todos estiverem na sala, por exemplo. Assim, o assunto não será mais um bicho de sete cabeças, e a conversa aberta terá um fio para iniciar-se.

O choque, em primeira instância, será inevitável. Receber a notícia de que seu filho é homossexual pode cair como uma bomba no âmbito familiar. Mas, isso na primeira hora. Você deve mostrar a seus pais que você é o mesmo filho de antes – educado, responsável, honesto – porém, a sua orientação sexual não é a que eles pensavam que fosse. Certamente, depois de bastante diálogo – sempre aberto – a relação pai/mãe/filho homossexual continuará a ser serena e amorosa.

Leave a Reply